Hoje (sexta-feira, 23/07) os Jogos Olímpicos se iniciam oficialmente em Tóquio – com a cerimônia de abertura às 8h da manhã no horário de Brasília -, e o torcedor do San Antonio Spurs já estará representado. Patty Mills, armador da equipe desde 2011, será o porta-bandeira da Austrália na cerimônia.

Patty Mills pela Austrália

Mills não está em Tóquio apenas para ser o primeiro indígena porta-bandeira da Austrália na história das Olimpíadas, como também – e principalmente – para buscar uma medalha para sua seleção.

Patty Mills após arremesso da vitória, 2021 (imagem de origem desconhecida)

Os Australian Boomers, como é chamada a seleção australiana de basquete, nunca conquistaram uma medalha olímpica, e foi sob a liderança de Patty Mills em terras tupiniquins que eles chegaram mais perto, ao terminarem em 4º lugar nas Olimpíadas do Rio, em 2016. Esse ano, buscam quebrar esta sina e chegar ao pódio pela primeira vez na história, mas sem deixar de sonhar com a medalha de ouro.

O título realmente não parece impossível. A Austrália chega ao Japão com uma equipe forte, com uma base que joga junta há um bom tempo e nomes bastante conhecidos dos fãs da NBA, como o próprio Patty Mills, Joe Ingles, (Utah Jazz), Aaron Baynes (Toronto Raptors e campeão pelo Spurs em 2014) e até Matisse Thybulle (Philadelphia 76ers), que está estreando pelos Boomers. Assim, e com uma vitória sobre os EUA em um amistoso preparatório, eles chegaram até mesmo a liderar o Power Rankings do Basquete Olímpico Masculino em antecipação ao início da competição, superando times tradicionais e favoritos como a Espanha (2º), França (6º) e os próprios Estados Unidos (3º).

Se a medalha realmente vem, não dá para cravar, mas Patty Mills e seus compatriotas definitivamente têm uma boa chance de pódio. Talvez a última do nosso campeão da NBA em 2014.


Jogos de Patty Mills nas Olimpíadas de Tóquio:

  • Austrália x Nigéria (25/07 – domingo – 05h20)
  • Itália x Austrália (28/07 – quarta – 05h20)
  • Austrália x Alemanha (31/07 – sábado – 05h20)
  • demais partidas a definir (dependente de classificação)

* Horários de Brasília (BRT)

Keldon Johnson pelos EUA

Keldon Johnson pela seleção de basquete dos EUA – via @spurs no Instagram

Além de Patty Mills pela Austrália, dessa vez também teremos um representante preto e prata na seleção dos EUA.

Uma das grandes surpresas do estrelado elenco olímpico da seleção de basquete dos Estados Unidos é Keldon Johnson, que estava com o Select Team treinando com a equipe principal e de última hora assumiu a vaga de Bradley Beal, que fora cortado devido aos protocolos de segurança e saúde da Covid-19.

Apesar das críticas iniciais por sua convocação por parte de muitos torcedores estadunidenses de fora de San Antonio, Keldon já mostrou seu enorme valor em sua primeira partida como parte da mais forte seleção do mundo, quando foi o destaque da vitória sobre a Espanha no último amistoso preparatório da seleção e saiu ovacionado pela torcida em Las Vegas. Ao assumir um papel de role player nessa equipe talentosíssima, a jovem promessa do Spurs entrará em quadra para complementar o jogo de estrelas como Kevin Durant, Damian Lillard, Devin Booker, Jayson Tatum e outras que estarão em quadra, peça fundamental para o bom funcionamento de um time, em especial numa competição tão difícil e com tantos adversários preparados quanto as Olimpíadas.

Keldon Johnson vai para a enterrada contra a Espanha (imagem de origem desconhecida)

Para Keldon individualmente e para o Spurs, a experiência não poderia ser melhor. Além de estar treinando e jogando ao lado de alguns dos melhores jogadores de toda a NBA todos os dias, ele terá a chance de jogar uma competição de altíssimo nível e com uma pressão enorme pela conquista da medalha de ouro. Afinal, como sempre no basquete olímpico, os EUA são favoritos ao título e buscam o quarto ouro consecutivo, feito que não acontece na modalidade desde 1968, quando a seleção estadunidense conquistou a então sétima medalha de ouro seguida.


Jogos de Keldon Johnson nas Olimpíadas de Tóquio:

  • França x EUA (25/07 – domingo – 09h00)
  • EUA x Irã (28/07 – quarta – 01h40)
  • EUA x República Tcheca (31/07 – sábado – 09h00)
  • demais partidas a definir (dependente de classificação)

* Horários de Brasília (BRT)


Como menção honrosa, apesar do foco dos Jogos Olímpicos serem os atletas, não custa lembrar que Greg Popovich, técnico do Spurs há mais de duas décadas, é também o técnico dos EUA e está estreando como chefe da comissão técnica em Olimpíadas.

Greg Popovich, por John Locher/AP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s